Sábado, 19 de Julho de 2008

Sid Vicious (baixista dos The Sex Pistols e ícone Punk)

 

O movimento Punk surgiu em finais dos anos 60, e atingiu o seu auge durante os anos 70, numa oposição contra a sociedade da época e o conformismo pacífico dos Hippies. Movidos por um espírito de revolta, de violência, agressivo, contra o capitalismo, contra o consumismo, contra o comercial, contra a futilidade, rapidamente andou de mão dada com o Anarquismo. E ainda hoje se associa essa vertente política com este movimento. Começou com uma mentalidade, rápido se transfigurou num estilo de vida e se entranhou na a música e nas Artes. As letras a envocar a revolução, contra a polícia, contra o Estado, contra o dinheiro sujo. Antes de tudo, ser Punk é um estado de mente, é uma mentalidade. Só após é que escorreu para o vestuário, influenciando uma geração inteira de rebeldes que lutaram contra o Sistema.

Dicas:

 

Mentalidade Punk:

De nada importa que tenhas um guarda-roupa repleto de vestuário da moda Punk ou uma colecção de vinil dos grandes nomes da música Punk, se não tiveres a sede de revolta, fores contra o capitalismo, contra o consumismo, contra o comercial, contra as ideias opressoras do Estado e da polícia, se não tiveres um verdadeiro espírito revolucionário e de querer mudança na sociedade, nunca serás considerado Punk, mas apenas um Poser. Este é um movimento que nasceu de uma mentalidade, que se transformou num estilo de vida, que se entranhou na música, na moda e nas Artes. Ser Punk é muito mais do que usar cabelo rapado, piercings, correntes ou ouvir The Sex Pistols. É um estado mental, independente e evoluído, é querer mudar a sociedade, acabar com a opressão, com a exploração do povo trabalhador, acabar com as hierarquias sociais e tornar o Mundo um local melhor.

 

Música Punk:

  1. Torna-te familiar com a música; existem vários sub-géneros diferentes dentro do género musical Punk, catalogada conforme a década em que surgiram. Afasta-te um pouco do "Pop Punk" das bandas como Sum 41 e Good Charlotte, não é boa música entre o movimento e não é considerado Punk. O facto do Punk estar em degradação em termos musicais é que trouxe a famosa frase "Punk is Dead". E a mais famosa frase de resposta: "Punk's not Dead".

First Wave of Punk (1977 - 1979)

Post-Punk (Mais tarde em 1979 - 1985)

Hardcore Punk (1979 - 1986)

Anarcho-Punk/Crust Punk/Peace Punk/Grind/Power Violence/Horror Punk (1980 - Actualmente)

Proto-Punk (1960 - 1976)  

Second Wave of Punk (1980 - Actualmente)

Pop Punk (1990 - Actualmente)

 

As bandas mais populares no movimento Punk são: The Sex Pistols, The Ramones, Dead Kennedys, Anti-Flag, The Misfits, The Clash, NOFX, Pennywise, Rise Against, The Exploited, The Strangles, The Damned, New York Dolls, The Stooges, The Dictators, Wire, Conflict, Crass, Bad Brains.

 

Moda Punk:

1.     Percebe que o que conta é o interior. É a atitude e a personalidade de revolução que faz o Punk, e é isto que vai influenciar o teu modo de vestir. 

 

2.     Os básicos do guarda-roupa Punk são: Cabedal (se fores contra o uso de peles, escolhe cabedal sintético), Ganga, estampado leopardo, Lã, Riscas, Tartan escocês e estampado militar.

o        Os casacos de cabedal ou ganga podem ser cobertos com alfinetes, patchs, pins ou tachas de metal, que são muito populares entre o movimento Punk. A maioria dos casacos de cabedal têm as costas pintadas com nomes de bandas e símbolos como a “Anarquia”, mas apenas se tiveres o sentimento anarquista. Calças de ganga desgastada, de tartan escocês e com fechos pelas pernas acima são clássicos da moda Punk.

3.     T-shirts das bandas Punk. São muito usadas tanto para homem como para mulher. Mas há que ter o cuidado de conhecer a música da banda antes de usar um t-shirt dela, ou será um acto idiota, especialmente se alguém meter conversa. Camisolas feitas em casa, camisolas largas de lã, padrão leopardo, padrão zebra e o clássico padrão tartan escocês, assim como rede, especialmente para collants e camisolas.

4.     Calçado. Doc Martens, botas de combate, nos primórdios as Converse All Star eram boas escolhas, contudo actualmente tornaram-se demasiado comerciais. Sapatilhas de skate (mais as Draven e T.U.K.) também são populares, especialmente para Punks que praticam skateboarding. Creepers também são populares. Para as raparigas, as Mary Janes são as mais usadas.  

5.     Penteado. Penteados populares, para homem e mulher, incluem: rapados, mohawk, bihawk, trihawk, bitch handles, liberty spikes e até mesmo dreadlocks. Tudo depende da criatividade e da originalidade da personalidade de cada indivíduo. Muitos Punks modificam a coloração do seu cabelo para cores vibrantes e psicadélicas, mas podes manter os tons naturais do teu cabelo, se assim quiseres. Cabelo curto, cabelo comprido, cabelo médio.

 

6.      A Body Art é muito apreciada no movimento Punk, é uma escolha para se identificarem. Tatuagens, piercings, alargadores/dilatadores são muito escolhidos. É frequente ver um Punk com as orelhas repletas em pequenas argolas prateadas, alguns usam alargadores. Tudo depende do individual de cada um. Piercings no lábio e no septum são os mais escolhidos.

    o   Quando fizeres um Piercing, é importante que escolhas um local que valorize e realce o teu rosto/corpo, e não apenas porque gostas. Porque podes adorar um determinado piercing, no entanto ele pode ficar mal no teu tipo de rosto. 

  o    Tatuagens; tens á escolha uma enorme variedade de imagens. Muitos punks tatuam os logos das suas bandas favoritas ou uma teia de aranha no cotovelo (mas tem cuidado! no Reino Unido uma teia de aranha tatuada no cotovelo significa que já estiveste na prisão). Tatuagens Old-School (marinheiras, pin-up, âncoras, também muito usadas no movimento Rockabillie) também são muito populares principalmente no peito e no antebraço. É importante que tenhas em mente que qualquer que seja a tatuagem que tu escolhas irá ser para sempre. Escolhe algo que reflicta a tua personalidade e que tenha grande significado, e não apenas uma banda que tu gostas passageiramente;

 

 

 

 Rapaz e rapariga do movimento Punk, actualmente.

 

Sugestões:

  • Não vejas televisão. Ela é um dos mecanismos de difusão do capitalismo e dos seus ideais vazios de "a paixão devia ter preço" ou "quanto mais vendes, mais vale o produto". As notícias que nela passam são sempre controladas pelo Estado e nunca sabes a história completa do que aconteceu, especialmente em assuntos políticos.
  • Sê o que tu pensas que o Punk é. Sê individual. Esse é o ponto mais importante na mentalidade do movimento. Se gostas de cabelo comprido, mantêm o teu cabelo comprido. Se gostas de Jazz, ouve Jazz. O crucial do movimento Punk é a mentalidade. Até o Johnny Rotten (vocalista dos The Sex Pistols) disse que os Punks modernos são "cabides de roupa". O mais importante neste movimento, não é o que vestes, mas sim o que és e os valores pelos quais te ergues.
  • Nem todos os punks odeiam o governo, mas rebelião é chave. Não tenhas valores idiotas como: “Odeio polícias porque eles prendem-nos sempre por quebrar-nos as regras” ou “Porque não podemos roubar nas lojas? Elas têm tantos compradores.” Punks querem liberdade e justiça, são contra a opressão que o Estado e o seu exército de polícias impõe à população. Medita bem acerca dos teus valores e no que acreditas, e defende-os acima de tudo, as tuas convicções são o que te movem: este é o verdadeiro significado de ser Punk.
  • Respeita as pessoas. Se queres respeito, também tens de respeitar os outros. Especialmente as pessoas mais velhas, mesmo que tenhas a opinião que os mais velhos são conservadores, estás errado. O movimento Punk teve o seu auge nos anos 70, actualmente as pessoas que fizeram viveram esse movimento terão à volta de 50/60 anos. Quem te diz que aquele teu professor que te parece tão carrancudo na sua juventude não foi um Punk? Por exemplo, se alguém de fato e gravata diz que gosta da tua t-shirt dos The Misfits, pergunta-lhes se é fã. Quem diz que por baixa do fato e da gravata não usa ele uma t-shirt dos The Ramones? Ele pode falar-te da altura em que o Punk estava no seu auge, de como era o ambiente e até aconselhar-te bandas das quais nunca ouviste falar. Qualquer pessoa que te rodeia pode ser um Punk, ainda que não se incorpore na moda Punk, até mesmo aquele nerd da tua escola pode ser secretamente um Punk, basta ter a atitude e a mentalidade.
  • Violência. Este é mais um esterótipo ligado aos Punks. As pessoas sempre pensam nos Punks como pessoas violentas, que agridem a polícia e explodem bombas-molotoff contra vitrenes de lojas. Esta ideia está errada. Mas isto não significa que seja falsa, mas não é caso para englobar um movimento por inteiro no historial da violência. No entanto, é bom que se saiba como lidar com a violência, não só nas manifestações mais violentas (porque existem imensas manifestações pacíficas), como também durante os moshes nos concertos.
  • Escuta outro género musical que não o Punk. Existe sempre a liberdade (em qualquer que seja o movimento) de ouvir outros géneros musicais que não o que completa o movimento Punk. O grande género do Rock (do qual surgiu o Punk) é um favorito, sendo o subgénero Hard Rock o mais escutado. Ska, Psychobilly e os subgéneros do Metal também são boas escolhas.
  • Punk ignorante não é atractivo; Punk culto é brilhante! Interessa-te pela política, tem sempre acesso à informação correcta (jornais independentes e de partidos da Oposição são os mais aconselhados) do que se passa no teu país, para puderes apontar, efectivamente, o que está errado. Não tem lógica defenderes que és contra a opressão e o capitalismo, mas depois não tens conhecimento de casos concretos. Interessa-te pela cultura, pelas Artes, pelas Ciências, pela área que mais que interessar. Existe o estereótipo junto da sociedade que os Punks são apenas "causadores de problemas que não querem trabalhar". Mostra que este estereótipo está errado! Existem imensas pessoas inteligentes e cultas dentro do movimento, não ajas como um revoltado idiota sem noção apenas porque achas que isso é Punk. Quando fores a manifestações, tem a certeza absoluta dos valores que estás a defender e que acreditas puramente na causa. 

Rapariga do movimento Punk rapando a sua cabeça em casa, valorizando os seus ideais de ser contra a sociedade de consumo, não frequenta cabeleireiros. 

 

 


música "I Wanna be Sedated" - The Ramones

publicado por Be Alternative Blog às 00:30 | link do post | comentar

24 comentários:

Comentar post

mais sobre mim
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Rasta

Beatnik (60's)

Hipster (2000's)

Vintage (70's - 90's)

Heavy (70's)

Retro (60's)

Rock

Ploc (80's revival)

Indie (rapazes)

Indie (raparigas)

arquivos

Março 2011

Março 2010

Novembro 2009

Agosto 2009

Julho 2008

tags

avisos

movimento beatnik

movimento cyber

movimento emo

movimento goth

movimento grunge

movimento harajuku

movimento heavy

movimento hippie

movimento hipster

movimento indie

movimento lolita

movimento ploc

movimento punk

movimento rasta

movimento retro

movimento rock

movimento rockabilly

movimento scene

movimento skater

movimento vintage

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds